Conectar-se

Esqueci minha senha

ultram er classifications

Ter 2 Ago 2011 - 17:45 por Anonymous

Buy Ultram at Next Day Tramadol. Shop our site for Tramadol online and pain medication online.

Comentários: 0

CRONOGRAMAS E RELATÓRIOS
Atenção: a postagem de tópicos de cronogramas e relatórios é apenas uma vez, não coloquem "Relatório de Junho" como nome do tópico porque ele será utilizado no próximo mês (clicando em responder) para postar o relatório de Agosto sem necessidade de criar mais tópicos...
Downloads
Outubro 2018
DomSegTerQuaQuiSexSab
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

Calendário Calendário


PORTARIA Nº 3, DE 7 DE MAIO DE 2009

Ir em baixo

PORTARIA Nº 3, DE 7 DE MAIO DE 2009

Mensagem  Sebastiao em Dom 10 Maio 2009 - 9:41

PORTARIA Nº 3, DE 7 DE MAIO DE 2009



Estabelece orientações e diretrizes para a concessão de bolsas de iniciação ao trabalho, tutoria acadêmica e preceptoria para a execução do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde - PET-Saúde, instituído no âmbito do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação.



O SECRETÁRIO DE GESTÃO DO TRABALHO E DA EDUCAÇÃO NA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe confere o Art. 4º da Portaria Interministerial Nº 917, 6 de maio de 2009, e

Considerando o disposto nos Arts. 15 a 18 da Lei Nº 11.129, de 30 de junho de 2005, que instituiu e autorizou o Programa de Bolsas para a Educação pelo Trabalho;

Considerando a Lei Nº 11.180, de 23 de setembro de 2005, que instituiu o Programa de Educação Tutorial;

Considerando a Portaria Interministerial Nº 1.802 MS/MEC, de 26 de agosto de 2008, do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação, que instituiu o Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde - PET - Saúde;

Considerando o Edital Nº 12, de 3 de setembro de 2008 e o Edital Nº 15, de 12 de novembro de 2008, referentes a seleção para o PET - Saúde; e

Considerando a necessidade de estabelecer orientações e diretrizes para a concessão de bolsas para a execução do PET-Saúde, resolve:



Art. 1º Aprovar os critérios e as normas para concessão de bolsas no âmbito do Sistema de Informações Gerenciais do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (SIG-PET-Saúde), nos termos desta Portaria.



Art. 2º O Sistema PET-Saúde visa o gerenciamento do pagamento das bolsas destinadas aos participantes do Programa.



CAPÍTULO I



DAS BOLSAS



Art. 3º As bolsas de que trata esta Portaria serão concedidas pela Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde - SGTES aos participantes de projetos PET-Saúde selecionados conforme Portaria Conjunta Nº 3, de 30 de janeiro de 2009, publicada no DOU de 2 de fevereiro de 2009, e Portaria Conjunta Nº 4, de 6 de fevereiro de 2009, publicada no DOU de 10 de fevereiro de 2009, de acordo com os valores estabelecidos no subitem 7.1 do Edital Nº 12/2008, mediante celebração de Termo de Compromisso em que

constem os correspondentes direitos e obrigações.

§ 1º O período de duração das bolsas será de até 12 meses, renovável por igual período, conforme parecer da Comissão de Avaliação do PET-Saúde, podendo ser por tempo inferior, ou mesmo sofrer interrupção, desde que justificada.

§ 2º A renovação das bolsas somente poderá ocorrer após o prazo de que trata o parágrafo anterior, desde que o bolsista seja novamente selecionado.

§ 3º O crédito aos bolsistas será processado pelo Banco do Brasil S/A, por meio de Contrato de Prestação de Serviços a ser firmado pelo Fundo Nacional de Saúde (FNS), objetivando operacionalizar a movimentação dos recursos a serem liberados pelo FNS.



Art. 4º A participação do estudante em um grupo PET-Saúde dar-se-á a partir da aprovação em processo de seleção, conduzido sob a responsabilidade de cada Instituição de Educação Superior - IES.

Parágrafo único. Os estudantes do grupo PET-Saúde (bolsistas e não bolsistas) farão jus a um certificado de participação no PET-Saúde, que deverá ser emitido por sua instituição de ensino, como contrapartida ao Programa.



Art. 5º O estudante bolsista será desligado do grupo nos seguintes casos:

I - conclusão, trancamento de matrícula institucional ou abandono do curso de graduação;

II - desistência;

III - descumprimento das obrigações junto à Coordenação do Curso de Graduação;

IV - descumprimento das atribuições previstas no § 2º do Art. 6º da Portaria Interministerial Nº 1.802 MS/MEC, de 26 de agosto de 2008; e

V - prática ou envolvimento em ações não condizentes com os objetivos do PET-Saúde ou com o ambiente acadêmico e dos serviços de saúde.

Parágrafo primeiro. Os alunos não bolsistas estarão sujeitos aos mesmos requisitos de ingresso e permanência exigidos para os alunos bolsistas.

Parágrafo segundo. Os 18 (dezoito) alunos não bolsistas participantes do grupo Pet-Saúde, conforme proporção estabelecida pelo subitem 5.5 do Edital SGTES Nº 12/2008, terão prioridade para substituição de alunos bolsistas, de forma a não comprometer o desenvolvimento das ações previstas no plano de pesquisa para qualificação da atenção básica em saúde.



Art. 6º As despesas com a execução das ações aqui previstas serão financiadas com recursos do orçamento do Ministério da Saúde/ Fundo Nacional de Saúde na forma da Classificação Funcional Programática apropriável a cada exercício.

Parágrafo único. O Ministério da Saúde deverá compatibilizar a quantidade de bolsistas com as dotações orçamentárias existentes a cada exercício.



CAPÍTULO II



DO PAGAMENTO DAS BOLSAS



Art. 7º Para que seja efetuado o pagamento das bolsas aos destinatários, o coordenador de cada Projeto PET-Saúde deverá cadastrar e atualizar mensalmente os contemplados no SIG-PET-Saúde, conforme item 7.2 do Edital Nº 12/2008, até o dia 25 de cada mês, para posterior homologação / validação pela SGTES, que encaminhará ao FNS relação nominal dos bolsistas, por meio físico e por arquivo eletrônico, acompanhada da autorização de pagamento.

§ 1º O pagamento das bolsas somente será efetuado no mês subseqüente ao início das atividades previstas no plano de pesquisa constante no Projeto aprovado.

§ 2º O coordenador de cada Projeto PET-Saúde é responsável pelo envio ao Departamento de Gestão da Educação na Saúde/ SGTES/MS, de relatório de ocorrências indicando a permanência, interrupção ou cancelamento do pagamento das bolsas, conforme subitem 7.2.1 do Edital Nº 12/2008.



Art. 8º O crédito para pagamento das bolsas no âmbito do Sistema PET-Saúde será efetuado pelo FNS ao Banco do Brasil S/A, que procederá aos pagamentos aos bolsistas, em conta específica vinculada ao Programa em questão, por meio de cartões de débito, em agências por eles escolhidas.

Parágrafo único. Fica autorizada a suspensão e/ou cancelamento da transferência de recursos financeiros ao destinatário que não atender aos critérios estabelecidos pela Portaria Interministerial Nº 1.802 MS/MEC, de 26 de agosto de 2008, pelo Edital SGTES Nº 12, de 3 de setembro de 2008, Edital SGTES Nº 15, de 12 de novembro de 2008, Portaria Interministerial Nº 917, de 6 de maio de 2009, e nos termos desta Portaria.



Art. 9º Para que seja efetuado o pagamento das bolsas, de que trata esta Portaria, a Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, por meio do SIG-PET-Saúde enviará ao FNS o cadastro pessoal e a relação nominal dos bolsistas do Programa, que por sua vez disponibilizará esses dados ao Banco do Brasil S/A.



Art. 10. A consulta a saldos e extratos deverá ocorrer exclusivamente por meio de cartão magnético, nos Terminais de Auto - Atendimento do banco ou de seus correspondentes bancários, mediante a utilização de senha pessoal e intransferível.



Art. 11. Excepcionalmente, quando os múltiplos de valores estabelecidos para retiradas nos Terminais de Auto-Atendimento forem incompatíveis com os valores dos saques a serem efetuados pelos bolsistas, estes poderão fazer uso dos caixas convencionais mantidos nas agências bancárias de seu relacionamento ou correspondentes bancários.



Art. 12. O titular da bolsa que efetuar a sua movimentação em desacordo com o estabelecido nesta Portaria, ou ainda solicitar a emissão de segunda via do cartão magnético, ficará sujeito ao pagamento das correspondentes tarifas bancárias.



Art. 13. Os créditos não sacados pelos bolsistas no prazo de validade dos cartões de débitos serão revertidos pelo Banco do Brasil S/A em favor do FNS, que não se obrigará a novo pagamento sem que haja solicitação formal da SGTES, acompanhada da competente justificativa, por parte do beneficiário.



CAPÍTULO III



DA REVERSÃO DE VALORES



Art. 14. As incorreções identificadas pelo Banco do Brasil S/A, em relação ao pagamento das bolsas, faculta ao Banco o estorno de valores creditados indevidamente aos bolsistas, restituindo-os ao FNS, devidamente identificado, para fins de contabilização, além de registros e controle no SIG-PET-Saúde, pela SGTES.

§ 1º Sendo detectada a insuficiência total ou parcial de saldo para reversão dos valores pelo Banco do Brasil, e não havendo pagamentos a serem efetuados, o bolsista ficará obrigado a restituir ao FNS os valores recebidos indevidamente, no prazo de 05 (cinco) dias úteis, a contar do recebimento da notificação a ser formulada pelo FNS.

§ 2º Os valores devolvidos pelos bolsistas e/ou estornados/ devolvidos pelo Banco do Brasil serão revertidos a crédito da Conta Única do FNS/MS, por meio de GRU - Guia de Recolhimento da União, disponível no sítio www.stn.fazenda.gov.br, UG 257001, Gestão 00001, sendo que o código e data de vencimento deverão ser informados pelo FNS. Após o recolhimento do valor, o bolsista ficará encarregado de encaminhar, via Fax, o comprovante de depósito para a Coordenação de Finanças do FNS.



CAPÍTULO IV



DA SUSPENSÃO DO PAGAMENTO DAS BOLSAS



Art. 15. Por manifestação da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, o FNS fica autorizado a suspender, cancelar ou bloquear o pagamento das bolsas aos beneficiários que não cumprirem com os critérios estabelecidos para o PET-Saúde.

§ 1º O grupo PET-Saúde poderá ser extinto em decorrência dos resultados de sua avaliação.

§ 2º A extinção de um grupo PET-Saúde não facultará à instituição de ensino a sua reposição, cabendo à SGTES a decisão de criação de novo grupo e a realocação dos respectivos recursos financeiros.



CAPÍTULO V



DA FISCALIZAÇÃO E DO ACOMPANHAMENTO



Art. 16. A fiscalização dos pagamentos por parte do Banco do Brasil S/A aos bolsistas, no tocante à transferência dos recursos financeiros relativos ao Sistema PET-Saúde, será exercida, conjuntamente, entre o FNS e a SGTES, ou por intermédio de qualquer

órgão do sistema de controle interno e externo da União, mediante a realização de auditorias, de inspeção e de análise da documentação referente à participação dos beneficiários no Programa.



Art. 17. Os documentos referentes aos critérios de seleção e de execução do Programa, relação dos beneficiários e respectivos valores concedidos aos bolsistas do PET-Saúde deverão ser arquivados nas IES, e na Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação

na Saúde, do Ministério da Saúde, durante o período de 05 (cinco) anos, a contar da data da concessão, disponibilizados ao acesso público permanente e aos órgãos e entidades da administração pública incumbidos da fiscalização e controle do programa.



CAPÍTULO VI



DA DENÚNCIA



Art. 18. Qualquer pessoa, física ou jurídica, poderá denunciar irregularidades identificadas no pagamento de bolsas no âmbito do Sistema PET-Saúde, por meio de expediente formal ao Ministério da Saúde, contendo necessariamente:

I - exposição sumária do ato ou fato censurável que possibilite sua perfeita determinação; e

II - identificação do responsável por sua prática, bem como a data do ocorrido.

§ 1º Quando a denúncia for apresentada por pessoa física, deverão ser fornecidos o nome legível e o endereço eletrônico e residencial para resposta ou esclarecimento de dúvidas, sob pena de não conhecimento desta.

§ 2º Quando o denunciante for pessoa jurídica, deverá encaminhar cópia de documento que ateste sua constituição jurídica e fornecer, além dos elementos referidos no §1º deste artigo, o endereço da sede da representante.



Art. 19. As denúncias deverão ser dirigidas à Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, no seguinte endereço:

I - se via postal: Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação na Saúde - Esplanada dos Ministérios - Bloco G, Edifício sede, 7º andar, sala 717 - CEP: 70058-900 - Brasília - DF; e

II - se via eletrônica: petsaude@saude.gov.br



Art. 20. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.



FRANCISCO EDUARDO DE CAMPOS

Sebastiao

Mensagens : 14
Data de inscrição : 30/04/2009
Idade : 44

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum